Ford testa novo Fiesta em condições extremas

Ford testa novo Fiesta em condições extremas

0 250

Prestes a chegar ao mercado, o novo Ford Fiesta foi submetido a um intenso e abrangente regime de testes para prepará-lo para o seu uso nas mais extremas condições e para garantir que ele se destaca no desempenho do dia-a-dia durante anos.

Os engenheiros que testaram o novo Fiesta registaram 1,2 milhões de quilómetros em estradas públicas e 850.000 quilómetros em pistas de ensaio, que incluíam pedras e buracos profundos. Outros testes incluem o tempo quente e o frio extremo, variando entre os 40°C negativos e os 82ºC.

"Uma combinação de simulações de alta tecnologia em laboratório, exigentes pistas de ensaio e avaliações do mundo real ajuda-nos a oferecer um Ford Fiesta durável em que os proprietários podem confiar de que sobreviverá ao pior a que o possam submeter ao longo da sua vida", disse Glen Goold, engenheiro-chefe do programa global do novo Fiesta, Ford Europa.

Os testes de durabilidade decorreram no Centro de Ensaios da Ford em Lommel, na Bélgica, em pistas de teste que são réplicas das estradas no Reino Unido, França e nos EUA, incluindo uma recriação exacta de um troço de estrada esburacado, perto do Centro Técnico da Ford em Dunton, Inglaterra.

Estes testes simularam as piores condições que os clientes podem encontrar e incluiu uma série de obstáculos construídos artificialmente e projectados para colocar cargas de força controladas nos componentes. Testes em laboratório aos componentes e sistemas simularam uma utilização de maus tratos em meses ou até mesmo semanas. Num teste específico, um braço robótico simulou a força de alguém a aplicar 36 kg de peso sobre o capô 3.000 vezes para garantir que este resistiria à “punição”.

O programa da Ford “Voz do Cliente Frotista” proporciona o teste com maior relevância para o condutor do mundo real em estradas principais e em cenários rurais e de cidade. Desenvolvido na América do Norte e introduzido na Europa em 2010, este programa inclui avaliações aos ruídos parasitas, à posição do banco e condução do veículo deliberadamente até que ele fique sem combustível para verificar a robustez do sistema e a precisão do indicador de distância disponível com o combustível existente no depósito.

A Ford recrutou 100 condutores de todas as idades e estaturas para realizar os testes em 115 unidades do novo Fiesta, registando os seus resultados num dispositivo para o efeito. Os condutores também foram convidados a relatar outros problemas ocorridos e não previamente considerados, ou oferecer sugestões de melhoria – um dos 31 testes desafiou mesmo os participantes a seguir um conjunto de instruções do manual do proprietário.

[nggallery id=349]

NO COMMENTS

Leave a Reply

*