Renault o novo escândalo das emissões

Renault o novo escândalo das emissões

0 874

As autoridades fizeram buscas nas instalações da Renault por alegado envolvimento no escândalo das emissões de gases.

A polémica das emissões excessivas de gases poluentes volta a dar que falar e desta vez a suspeita de fraude foi levantada contra o fabricante francês de veículos Renault.

As instalações da Renault foram alvo de buscas na semana passada. O centro de engenharia de Lardy, o centro tecnológico de Guyancourt (Yvelines), as instalações de Plessis-Robinson e a fábrica de Boulogne-Billancourt (Hauts-de-Seine) foram os locais escolhidos pelos investigadores de casos de fraude e foram apreendidos vários computadores de diretores.

A empresa já confirmou as buscas devido à suspeita de manipulação dos testes padrões e certificação motor e revelou total disponibilidade e colaboração com as autoridades. Garantiu ainda que não foi detetado software fraudulento. Os sindicatos da Renault também asseguraram que nenhum software foi detetado nos seus motores a gasóleo.

A empresa fundada em 1898 pelo industrial francês Louis Renault vê-se agora a braços com a justiça e certamente que este alegado envolvimento continuará a ditar a queda da empresa na bolsa. Só ontem as ações da empresa caíram 20%, para os 69,02 euros levando à perda de cerca de cinco mil milhões de euros de capitalização. Desde 1994 que a empresa não tinha uma queda tão acentuada.

Será uma mancha negra nesta empresa que já ganhou muitos prémios internacionais (Carro do Ano da Europa, por seis vezes, em 1966, 1982, 1991, 1997, 2003 e 2006, Carro do Ano em Espanha, por nove vezes, em 1973, 1979, 1983, 1987, 1989, 1991, 1994, 1995 e 1997, Carro do Ano na Eurásia Autobest, por três vezes, em 2005, 2009 e 2011 e Carro do Ano na Irlanda, por duas vezes, em 1990 e 2002) e que está habituada a apresentar lucros na ordem dos biliões. Só em 2013, os lucros da empresa, que produz desde automóveis pequenos e médios a furgões, passando por autocarros e camiões, foram de 40.932 biliões.

Esta alegada fraude na Renault pode estar relacionada com o escândalo da Volkswagen. A fraude na Volkswagen que envolveu mais de 11 milhões de veículos a nível mundial e cerca de 117 mil em Portugal foi assumida pela empresa que confirmou o uso de um software capaz de manipular os níveis de toxicidade das emissões em laboratório. Este escândalo assombrou o mercado automóvel nos últimos meses de 2015. Em Portugal os carros adulterados deverão começar a ser reparados ainda durante este mês.

NO COMMENTS

Leave a Reply

*